No Diabetes Tipo I (insulino-dependente) as células do pâncreas que normalmente produzem insulina foram destruídas. Quando pouco ou nenhuma insulina vem do pâncreas, o corpo não consegue absorver a glicose do sangue. As células começam a ficar sem energia e o nível de glicose no sangue fica constantemente alto. A solução é fazer uso da insulina subcutânea (injetada embaixo da pele), para que o açúcar possa ser absorvido do sangue pelas células.

 Uma vez que o distúrbio se desenvolve, ainda não existe maneira de regenerar as células produtoras de insulina no pâncreas. Portanto, a dieta correta e o tratamento com a insulina são necessários por toda a vida do diabético. Pessoas com níveis altos -ou mal controlados -de glicose no sangue podem apresentar: muita sede, vontade de urinar diversas vezes, perda de peso (mesmo sentindo mais fome e comendo mais do que o habitual), fome exagerada, visão embaçada, infecções repetidas na pele ou mucosas, machucados que demoram a cicatrizar, fadiga (cansaço inexplicável), dores nas pernas ocasionadas por má circulação.



 

 

 

 

Quando o pâncreas não funciona de maneira adequada,os nutrientes não são totalmente utilizados e as células não conseguem absorver a glicose do sangue.

 

 

Assine nossa Newsletter
Receba novidades, ofertas e cupons.